CPI aprova relatório final e acusa Bolsonaro de nove crimes

Placar foi de 7x4 a favor do indiciamento de 78 pessoas e duas empresas

| TOP MíDIA NEWS/THIAGO DE SOUZA


CPI termina com indiciamento de Bolsonaro - Crédito: Reprodução TV Senado

O relatório final da CPI da Covid foi aprovado, nesta terça-feira (26), por 7 votos a 4, no Senado Federal. O presidente Bolsonaro foi indiciado por nove crimes e a Comissão também acusa 78 pessoas e duas empresas. 

Foram seis meses de trabalho, com o objetivo de apurar ações e omissões do Governo Federal durante a pandemia. A peça produzida pela Comissão tem 1.289 páginas e foi referendada após sete horas de discussão.  

Entre os indiciados estão o presidente da República e os três filhos, ministros e ex-ministros do Governo Bolsonaro, além de deputados federais, médicos e o governador do Amazonas, Wilson Lima, do PSC.  As empresas indiciadas são a Precisa e a VTCLog. 

Houve amplo debate entre senadores que apoiam o governo e os que são oposição. 

Após a aprovação, houve um minuto de silêncio na comissão.  Com a conclusão dos trabalhos, o relatório será entregue ao Procurador Geral da República, Augusto Aras e estima-se que seja entregue também ao presidente da Câmara, Arthur Lira e ao Tribunal Penal Internacional. 

Mudanças 

O relator da CPI, Renan Calheiros, retirou e acrescentou indiciados à lista. Entraram o governador do Amazonas, Wilson Lima e retirado do senador Luiz Carlos Heinze. Também foram acrescidos nomes de assessores e ex-assessores do Ministério da Saúde. 

Segundo o G1, o relatório contém pedido para que o presidente Bolsonaro seja investigado por fazer ‘’campanha antivacina’’. Essa inclusão se deu após live do presidente, que citou matéria de jornal inglês, dizendo que vacinas podem causar HIV. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE